Reunião Latinoamericana debate relevância de microorganismos para agricultura

Reunião Latinoamericana debate relevância de microorganismos para agricultura

Estão programadas 43 palestras de pesquisadores de 15 países durante os quatro dias de evento

Um dos principais eventos sobre a importância  de microorganismos para a agricultura, a XXVII Reunião Latinoamericana de Rizobiologia (RELAR),será realizadade 6 a 9 de junho, no Hotel Sumatra, em Londrina. Durante os quatro dias estão previstas 43 palestras ministradas por 42 palestrantes de 15 países.  A reunião é promovida pela Associação Latino Americana de Rizobiologia – (ALAR) e tem a organização da Embrapa Soja e do Instituto Agronômico do Paraná (IAPAR), com o apoio do Núcleo Estadual Paraná da Sociedade Brasileira de Ciência do Solo – NEPAR/SBCS.

Paralelamente ao evento, será promovida a XVIII Reunião da Rede de Laboratórios para a Recomendação, Padronização e Difusão de Tecnologia de Inoculantes Microbianos e Interesse Agrícola (Relare). De acordo com a pesquisadora da Embrapa, Mariangela Hungria, presidente do evento, a expectativa é reunir aproximadamente 350 participantes, sendo a maioria pesquisadores, professores, estudantes e representantes do setor produtivo.
Segundo Mariangela, a América Latina realiza pesquisas avançadas e têm diversas inovações no uso de bactérias fixadoras de nitrogênio e microrganismos promotores do crescimento de plantas. Por isso, o tema da reunião foi escolhido com o objetivo de fortalecer as Parcerias Sul-Sul. (América Latina e Caribe). “A escolha do tema vai ao encontro da identificação de que as parcerias Sul-Sul podem ser muito eficientes no tema de microrganismos destinados à agricultura por suas peculiaridades regionais”, afirma a pesquisadora.
Com base no tema escolhido, o programa da XXVII Relar contará, principalmente, com palestrantes da América Latina e Caribe. O programa inclui nomes da ciência básica e aplicada, incluindo representantes dos setores públicos e privados. No total, estão previstas 43 palestras ministradas por 42 palestrantes de 15 países.
Para o pesquisador Arnaldo Colozzi Filho, diretor do NEPAR e vice presidente do evento, o Paraná sempre esteve na liderança em relação à pesquisa, produção e utilização de inoculantes na agricultura, o que torna a realização deste evento em Londrina uma oportunidade única de troca de conhecimentos e experiências entre a academia, a indústria e o produtor.

Relare
Criada em 1985, a Rede de Laboratórios para a Recomendação, Padronização e Difusão de Tecnologia de Inoculantes Microbianos e Interesse Agrícola (RELARE) conta com participação de representantes de instituições de pesquisa, das indústrias de inoculantes e do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). A Reunião teve papel decisivo na elaboração da legislação inoculantes microbianos, que é uma das mais avançadas do mundo. “Todos os protocolos que constam das instruções normativas de inoculantes foram elaborados pela Relare. Além disso, a Relare representa o fórum mais importante no Brasil para a discussão de novos produtos inoculantes e tecnologias de inoculação, garantindo o uso seguro e benéfico de microrganismos na agricultura brasileira”, diz Mariangela Hungria.

Programação da Relar

06 de junho – segunda-feira
8h45 – 10h15
Sessão I – Biodiversidade e Taxonomia
Moderador: Lucy Seldin (UFRJ, Brasil)
1) Taxonomia de rizóbios na era genômica
Ernesto Aldo Ormeño-Orrillo (Universidad Nacional Agraria La Molina, Peru)
2) Explorando simbioses tolerantes a estresses ambientais
Graham O´Hara (Murdoch University, Austrália)
3) O novo mundo das burkholderias
Fábio Bueno dos Reis Junior (Embrapa Cerrados, Brasil)
10h15 – 10h45
Intervalo – Coffee break
10h45 – 11h45
Sessão I – Biodiversidade e Taxonomia (Continuação)
4) A riqueza microbiana dos Andes: Explorável e com impacto econômico e ambiental
Doris Elizabeth ZuñigaDávila (Universidad Nacional Agraria La Molina, Peru)
5) Microrganimos associados com Lotus na implantação de pastagens: Estabilidade das comunidades e uso tecnológico
Oscar Adolfo Ruiz (Instituto de investigaciones Biotecnológicas, Argentina)
13h30 – 15h
Sessão II – Ciências “Ômicas”
Moderador: Jesiane S. S. Batista (UEPG, Brasil)
1) Análise genética de um modelo rizóbio-plasmídeo-mobiloma em escala megabase: Conteúdo de gene e relações evolucionárias
Antonio Lagares (Universidad Nacional de La Plata/CONICET, Argentina)
2) Organização genômica dos sistemas flagelares em Bradyrhizobium spp.
Aníbal Roberto Lodeiro (Universidad de La Plata, Argentina)
3) EPS, KPS e LPS: Consenso sobre a importância?
Maribel E. Parada Ibañez (Universidad de La Frontera de Temuco, Chile)
15h30 – 17h
Sessão II – Ciências “Ômicas” (Continuação)
4) Quanto avançamos no conhecimento sobre a regulação dos genes nodD?
Manuel Megías (Universidad de Sevilla, Espanha)
5) A luta dos rizóbios por ferro
Elena Fabiano (Instituto de Investigaciones Biológicas “Clemente Estable”, Uruguai)
6) Genômica e genômica funcional de rizóbios selvagens e experimentalmente evoluídos, de vida livre e em comunidades bacterianas
Esperanza Martínez-Romero (Centro de CienciasGenómicas, México)
17h – 19h
Sessão Pôster (português, espanhol, inglês) e Happy hour
 
07 de junho – terça-feira
8h30 – 10h
Sessão III – FBN em Não-Leguminosas
Moderador: Sonia Purin da Cruz (UFSC, Brasil)
1) O gênero Azospirillum: Da genómica à produção de insumos biológicos
Fabrício Dario Cassán (Universidad Nacional de Rio Cuarto, Argentina)
2) Rizóbios em não leguminosas: Uma nova esperança?
EnilsonSaccol de Sá (UFRGS, Brasil)
3) Azospirillum no Uruguai: Grande experiência em um pequeno país
Carlos Alberto Labandera (ex-MGAP, Uruguai)
10h – 10h30
Intervalo – Coffee break
10h30 – 11h30
Sessão IV: Coqueteis de Microrganismos para um Buffet de Plantas e Possibilidades
Moderador: Arnaldo Colozzi-Filho (IAPAR, Brazil)
1) Perspectivas para a cana-de-açúcar
Verônica Massena Reis (Embrapa Agrobiologia, Brasil)
2) Inoculantes microbianos fazendo a diferença em Cuba
Maria Caridad Nápoles (Instituto Nacional de Ciencias Agrícolas, Cuba)
11h30 – 13h
Almoço (livre)
13h – 13h30
Assembleia da ALAR
13h30 – 15h
Sessão V – Estratégias para a Obtenção de Plantas Hospedeiras com Maior Capacidade de FBN
Moderador: Elena Beyhaut (INIA, Uruguai)
1) Eficiência do uso de fósforo na fixação simbiótica do N2 para o acomplamento dos ciclos biogeoquímicos em agroecossistemas com leguminosas
Jean Jacques Drevon (INRA, França)
2) O desafio das mudanças climáticas globais: Seleção para FBN sob déficit hídrico
Marco Antonio Nogueira (Embrapa Soja, Brasil)
3) Interações simbióticas entre feijoeiro e rizóbios nas Américas
Mario O. Aguilar (Universidad de La Plata, Argentina)
15h30 – 17h
Sessão VI – Quantificando e “Qualificando” a FBN
Moderador: Jerri E. Zilli (Embrapa Agrobiologia, Brasil)
1) Benefícios pela rotação de culturas com leguminosas fixadoras de nitrogênio:
Universais ou com ressalvas?
David Francis Herridge (Universityof New England/Primary Industries Innovation Center, Austrália)
2) Quantificação da FBN em não leguminosas
Robert Michael Boddey (Embrapa Agrobiologia, Brasil)
3) FBN em cereais: Uma visão perspectiva e prospectiva
Frans J. de Bruijn (INRA/CNRS, França)
17h – 19h
Sessão Pôster (português, espanhol, inglês) e Happy hour
 
08 de junho – quarta-feira
8h30 – 10h
Sessão VII – Planejando o Futuro: Difusão e Transferência de Tecnologias e Formação de Recursos Humanos
Moderador: Krisle da Silva (Embrapa Roraima, Brasil)
1) A fixação de nitrogênio a trabalho dos pequenos agricultores na África – N2Africa
Ken E. Giller (UniversityofWageningen, Holanda)
2) Ações de difusão de tecnologia para incrementar o uso de inoculantes no Brasil: Novas ideias e novas ferramentas
Cristhiane Oliveira da Graça Amâncio (Embrapa Agrobiologia, Brasil)
3) BIOFAG e AGROMICROBIOS: Evolução em redes de pesquisa em biofertilizantes
Juan SanjuánPinilla (Estación Experimental de Zaidín, Espanha)
10h30 – 12h
Sessão VII – Planejando o Futuro: Difusão e transferência de Tecnologias e Formação de Recursos Humanos (Continuação)
1) Quanto podemos avançar em transferência de tecnologia em FBN entre países? Experiências na África
Steve K. Boahen (IITA, Moçambique)
2) Construindo capacitação humana em FBN na África: Oportunidades de colaboração Sul-Sul
Felix DapareDakora (TshwaneUniversityof Technology, África do Sul)
3) Como formar e motivar uma nova geração de profissionais na microbiologia do solo?
GlacielaKaschuk (UFPR, Brasil)
13h30 – 15h
Sessão VIII – Soja: o Carro-Chefe da FBN na América do Sul
Moderador: Marco Antonio Nogueira (Embrapa Soja, Brazil)
4) Impacto da inoculação e da FBN em soja na Argentina
Alejandro Perticari (Instituto de Microbiología y Zoología Agrícola-INTA, Argentina)
5) Fixação do nitrogênio em soja: A simbiose perfeita?
Fábio Martins Mercante (Embrapa Agropecuária Oeste, Brasil)
6) FBN com a soja no Uruguai: Contribuição para uma agricultura sustentável em um novo cenário de intensificação
Elena Beyhaut (INIA, Uruguai)
15h30 – 17h
Sessão IX – A FBN em Culturas de Menor Impacto Econômico e Grande Importância Social e Ambiental
Moderador: Luc Felicianus Marie Rouws (Embrapa Agrobiologia, Brasil)
1) Rizóbios para forrageiras, adubos verdes e arbóreas no Brasil: Oportunidades para o sequestro de carbono
Jerri Édson Zilli (Embrapa Agrobiologia, Brasil)
2) Existe esperança para a FBN com o feijoeiro?
Iêda Carvalho Mendes (Embrapa Cerrados, Brasil)
3) Simbiose Phaseoluslunatus x rizóbio: Perspectivas e potencial para produção de grãos para a agricultura familiar
Ademir C. F. Araújo (Universidade Federal do Piauí, Brasil)
17h – 19h
Sessão Pôster (português, espanhol, inglês) e Happy hour
 
09 de junho – quinta-feira
8h30 – 10h
Sessão X – Indústria e Negócios
Moderador: EndersonPetronio de Brito Ferreira (Embrapa Arroz e Feijão, Brasil)
1) Osinoculantes sobreviverão à nova realidade corporativa das multinacionais?
Solon Cordeiro Araújo (Consultor da ANPII, Brasil)
2) Pré-inoculação da soja: Oportunidades e ameaças
Gustavo Gonzalez Anta (Rizobacter, Argentina)
3) Microalgas: matéria prima de energia renovável para a aplicação em bioenergia e agricultura
Diva de Souza Andrade (IAPAR, Brasil)
10h30 – 11h30
Sessão X – Indústria e Negócios (Continuação)
4) Há espaço para pequenas indústrias de inoculantes na America Latina?
Renato ValenzuelaBedregal (AgroindustriasLucano SRL, Bolívia)
5) Academia x Indústria: Desafios de adaptação de escala e de obtenção de resultados
Ricardo Silva Araujo (Total Biotecnologia, Brasil)
11h30 – 12h10
Palestra de encerramento
Moderador: Mariangela Hungria

Share this post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *