Minicurso apresenta novas tecnologias de sensores no levantamento de solo

Minicurso apresenta novas tecnologias de sensores no levantamento de solo

Proposta do minicurso é proporcionar aos participantes uma espécie de embate sobre avanços tecnológicos e metodologias tradicionais.

Além de usufruir de uma programação científica com várias palestras proferidas por especialistas, os participantes da V Reunião Paranaense da Ciência do Solo e II Simpósio Brasileiro de Solos Arenosos poderão se inscrever no minicurso: “Avanços tecnológicos no levantamento de solo”, que será ministrado pelo professor doutor Marcos Nanni, da Universidade Estadual de Maringá (UEM). O evento será realizado de 23 a 25 maio, noCentro de Eventos Excellence de Maringá.

O objetivo do minicurso é mostrar as novas tecnologias de sensores remotos nos levantamentos pedológicos descrevendo sua operacionalidade, velocidade de aquisição de dados, custos e qualidade dos resultados.As vagas são limitadas em 40 obedecendo à ordem de inscrição.

De acordo com o professor, o minicurso será realizado em duas etapas. A primeira será uma breve exposição em auditório sobre o tema em questão. A apresentação será realizada com o intuito de posicionar o espectador sobre o que são os levantamentos de solos, para que servem e quais as formas de serem executados. “A proposta é oferecer ao participante uma espécie de embate sobre as tecnologias e metodologias usuais nos levantamentos x levantamentos digitais de solos que atualmente estão sendo realizados, ou seja, os levantamentos realizados tradicionalmente e os que agregam novas ciências e ferramentas tecnológicas”, explica Nanni.

A tecnologia vem se transformando em uma ferramenta indispensável no campo, porém muitas atividades de pesquisas de solos têm sido realizadas, tradicionalmente, na aquisição de amostras para execução das análises em laboratórios. Além de laboriosas, essas atividades envolvem grande número de profissionais, tempo elevado para execução, poluentes (como é o caso dos reagentes utilizados) e de elevado custo.

Segundo o professor, o uso de novos sensores que possam adquirir informações diretamente no campo ou em laboratório podem ser mais ágeis, robustos, sem impactos negativos,pois não utilizam reagentes, confiáveis e com a capacidade de mapeamento dos atributos dos solos de forma contínua no espaço e no tempo.

“Desta forma pretendemos demonstrar novos paradigmas para a execução de levantamentos pedológicos.  A ideia não é esquecer o tradicional, mas torná-lo mais ágil e preciso, com menor contingente de pessoas e recursos para que possamos, a partir de mapeamentos cada vez mais detalhados, auxiliar no uso e manejo dos solos agrícolas”, ressalta Nanni.

As inscrições poderão ser feitas no local. Acesse o site para ver a programação do evento www.solosarenosos2017.com.br

Share this post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *